Conselho de Pesquisa em Tecnologia de Geração de
Energia a Partir de Resíduos - CONGENERES
Progresso no Gerenciamento Sustentável de Resíduos
Waste-to-Energy Research and Technology Council
Advancing Sustainable Waste Management

Quem Somos

Nos Estados Unidos existem 87 usinas resíduos-energia (REN) ou “waste-to-energy” (WTE) que processam 28 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) gerando cerca de 15 TWh de eletricidade por ano. Na década de 1990 todas estas usinas implementaram novas regulamentações (MACT- Maximum Achievable Control Tecnology) da Agência de Proteção Ambiental (EPA) restringindo as emissões a um custo estimado de um bilhão de dólares. Os resultados destas melhorias foi a redução de emissões de dioxinas por um fator de mil vezes e de mercurio por um fator de cem. Cerca de 50 usinas não puderam ou não quiseram cumprir as novas exigências do MACT e foram desligadas.

Apesar da evidência de que as usinas REN nos EUA têm sido reconhecidas pelo EPA como uma das fontes mais limpas de alta temperatura, superiores as usinas de carvão, fundições e cementeiras, ainda existe uma contínua oposição à construção de novas usinas REN nos EUA. No período entre 1995-2002, o Earth Engineering Center (EEC) da Universidade de Columbia em New York, estudou todas as rotas de gerenciamento de resíduos e concluiu que as usinas REN são superiores a outra alternativa disponível para descarte final dos RSU após a reciclagem: aterros sanitários. Nesta mesma época, foi criado o consórcio indústria-universidade denominado Waste-to-Energy Research and Technology Council (WTERT, www.wtert.org). Seus objetivos eram:

  1. Estimular o progresso das tecnologias para recuperar energia e materiais dos RSU remanescentes após a reciclagem.
  2. Informar ao público e governantes sobre as vantagens da geração de energia a partir dos RSU – REN – e sobre todos os outros meios de gerenciamento sustentável dos resíduos.

Atualmente o WTERT é reconhecido como a principal fonte de informação em pesquisa e desenvolvimento nos EUA na área de energia a partir de resíduos.

O WTERT já instituiu parcerias fora dos EUA, tais como na China ( www.wtert.cn ), Alemanha (www.wtert.eu), Grécia (www.wtert.gr) e Canada (www.wtert.ca). Outras organizações estão sendo criadas no Reino Unido, Itália e França.

A necessidade da criação do WTERT-Brasil

Praticamente todo o lixo pós-reciclagem do Brasil é descartado em aterros sendo que grande parte está no limite da sua capacidade como, por exemplo, o aterro de Gramacho no Rio de Janeiro. O diagrama abaixo mostra que algumas nações reduziram a quantidade de aterros através da combinação reciclagem, compostagem e combustão com recuperação de energia.

Organização e objetivos do WTERT-Brasil

Tendo em vista o que foi dito acima, a elite acadêmica do Brasil deve assumir a liderança de informar a população através de uma organização baseada na internet similar ao WTERT-U.S. Esta organização se chamará WTERT-Brasil e terá como ferramenta principal sua homepage na internet e seus links com outras instituições acadêmicas, industrias e agências governamentais no Brasil com o objetivo de estimular o gerenciamento sustentável dos RSU; e tambem com as organizações coligadas do WTERT e SUR em todo o planeta.

Os objetivos do WTERT-Brasil são:

  1. Aproximar todos os grupos de pesquisa e desenvolvimento trabalhando nas diversas áreas pertinentes ao gerenciamento de resíduos, no Brasil, e compartilhar informações sobre o Gerenciamento Sustentável de Resíduos através do WTERT e coligadas ao redor do mundo.
  2. Identificar as tecnologias mais adequadas ao tratamento dos diversos materiais presentes nos resíduos do Brasil, estimular a pesquisa acadêmica de acordo com as necessidades e dissiminar estas informações pelo País; paralelamente o WTERT - Brasil irá disponibilizar informações, em inglês, de modo que o resto do mundo possa acompanhar os problemas, soluções e oportunidades visando o progresso do gerenciamento dos resíduos no Brasil.

O Princípio Geral: Gerenciamento Sustentável dos Resíduos

O princípio geral do WTERT-Brasil será o mesmo adotado nos outros países pelas coligadas: o gerenciamento responsável dos resíduos deve ser baseado na ciência e na melhor tecnologia disponível e não em ideologias ou modelos econômicos que excluam os custos ambientais.

Um estudo na Universidade de Columbia estimou que a geração global de resíduos deverá ser duplicada até o ano de 2030. Numa base per capta, o consumo de energia e a geração de resíduos sólidos nos EUA é o dobro dos europeus e japoneses que vivem no mesmo padrão de conforto e bem estar. Portanto ainda existe muito espaço para a redução do consumo de energia e produção de lixo no país. Todavia o objetivo de se chegar a “lixo zero” é inatingivel. Isso já foi demonstrado por nações com elevada consciência ambiental como Japão e Suíça onde, apesar do esforço feito na reciclagem, ainda dependem das usinas REN no sentido de evitar aterros sanitários.

Reciclagem - É a melhor coisa a fazer após a redução da geração de lixo. Nos EUA já foi alcançado um percentual médio de aproximadamente 20% do total no entanto, em alguns estados, este percentual é ainda maior.

Compostagem – Tanto a compostagem aeróbica como a anaeróbica – só tem aplicação prática para a fração orgânica segregada e coletada na fonte. Nos EUA cerca de 9% dos RSU é compostada e corresponde aos resíduos de poda e jardins coletados em separado. Em geral a compostagem é feita em leiras a céu aberto mas tambem pode ser feita em bio-reatores ou pilhas cobertas e aeradas.

Geração de Energia (REN ouWTE) – Após a reciclagem/compostagem de todo o lixo urbano produzido no planeta, cerca de 200 milhões de toneladas são processadas, por ano, em usinas resíduo-energia (REN) que recuperam a energia contida no lixo na forma de eletricidade ou calor. Nos EUA, aproximadamente 7% dos RSU são processados em 87 usinas, gerando cerca de 15 milhões de MWh/ano de energia elétrica.

Aterros Sanitários – A maior parte dos RSU produzidos no mundo, cerca de 800 milhões de toneladas/ano, são descartadas em aterros. O WTERT estima que um metro quadrado é desperdiçado, para sempre, para cada dez toneladas de lixo aterrado. O desenvolvimento verdadeiramente sustentável demanda que somente a fração inorgânica dos resíduos seja disposta em aterros como já é feito no Japão e na Suíça.

Isto iria demandar grande expansão da capacidade atual das usinas REN, uma solução de custo elevado para os paises em desenvolvimento. Portanto, tambem é necessário que países como a China, Índia e Brasil construam aterros sanitários modernos para a proteção das águas e a captura do biogás, contribuindo para a redução das mudanças climáticas. Os EUA, seguidos pela China, são os maiores utilizadores de aterros para a disposição final de lixo. Entretanto os EUA lideram na captura e na utilização de biogas dos aterros sanitários.

A hierarquia no gerenciamento dos RSU (EEC, 2008)